06 – VLT (Tramway) x VLT (Light Rail)

Como o próprio título desta matéria reflete, no Brasil ainda temos um conflito de identidades para o mesmo termo “VLT”. Veículo Leve sobre Trilhos, em linhas gerais, pode identificar 2 tipos de soluções para transporte sobre trilhos que analisaremos a seguir.

Primeiramente, a categoria “Leve” refere-se a trens cuja construção de seus vagões é menos robustas que nos metrôs e nos subúrbios tradicionalmente conhecidos. Normalmente também possuem número limitado de vagões. Essas características permitem um menor custo do material rodante, de sua manutenção e das obras civís.

O termo VLT é utilizado aqui no Brasil para identificar tanto o “Light Train” (Trem Leve) quanto para o “Tramway” que são meios de transporte que apresentam distinções se olharmos para o Exterior.

VLT do Cariri - Light Rail - Brasil

O “Light Rail” tem características de pequenos trens de subúrbio, com plataformas altas e estações típicas desse tipo de transporte. Normalmente seus trilhos são segregados limitando a travessia de pedestres a passarelas e travessias em estações e possui um número limitado de cruzamentos com vias automotivas. Como os subúrbios, essas características fazem com que esse tipo de VLT divida a cidade ou os trechos urbanos em dois lados.

Um exemplo que está sendo aplicado no Nordeste do Brasil é o VLT do Cariri que entrou em operação de forma experimental em Dezembro de 2009 e já estão sendo fornecidas algumas unidades a nível regional.

Futuro VLT de Brasília - Tramway - Brasil

O “Tramway” já foi desenvolvido para um convívio direto com o ambiente urbano. Plataformas baixas (um palmo de altura) e estações que se assemelham a pontos de ônibus são características típicas desta solução. Seu convívio com o público e com os cruzamentos com vias automotivas são o dia-a-dia desse meio de transporte. Sua segregação é apenas no nível de corredor, porém, normalmente, não existem muros ou obstáculos entre seu caminho e seus arredores.

Neste caso, um exemplo típico de Tramway é o futuro VLT de Brasília que está em fase de início de construção e tem por objetivo melhorar o transporte público do Distrito Federal visando a Copa do Mundo de 2014.

Uma analogia não realista (apenas ilustrativa) que sempre faço é que um “Light Train” pode ser conduzido por um condutor de subúrbios enquanto que um “Tram” pode ser conduzido por um motorista de trólebus… dentro das devidas proporções.

Assim, quando se fala de implantação de VLT no Brasil, não fica claro o tipo de solução que está sendo cogitada sem que tenhamos que entrar no detalhe da solução requerida ou implementada. Qual é o melhor? Não faz sentido questionar esse fato sem conhecermos bem as necessidades do local em que irá transitar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>